繁體中文 | 简体中文 | English | Português
 
 
Pesquisar
  >>Página Principal

A DÉCADA DE 80: A MAIORIDADE

Guias Mutantes: 50 Anos de Grande Prémio de Macau

Realizado pela primeira vez em Novembro de 1954 como uma corrida para amantes locais do desporto automóvel, o Grande Prémio de Macau veio a transformar-se naquele que muitos consideram a melhor prova em circuito urbano do mundo. Seguidamente, apresentamos alguns dos pontos altos dos últimos 50 anos.


A DÉCADA DE 80: A MAIORIDADE

1980
O Grande Prémio foi denominado como o primeiro Campeonato de Fórmula Pacífico, com o primeiro lugar da grelha, Geoff Lees a acabar por vencer para a Theodore Racing pelo segundo ano. Masahiro Hasemi ficou em segundo e o americano Tom Gloy em terceiro. Sadeo Asami fez história ao vencer o 14o Grande Prémio de Macau de Motas, facto que o tornou no único piloto a vencer a mesma prova três anos consecutivos. Os pilotos britânicos Steve Parrish e Bernard Murray repetiram os seus segundo e terceiro lugares do ano anterior. Quanto à Corrida da Guia, Hans Stuck venceu no seu BMW 320.

1981
O americano Bob Earl venceu o 28o Grande Prémio de Macau, ficando o japonês Naohiro Fujita em segundo e o inglês Ray Mallock em terceiro. A Corrida da Guia, na qual Mark, o filho da antiga primeira-ministra da Grã Bretanha Margaret Thatcher, participou, foi ganha pelo falecido Manfred Winkelhock. No Grande Prémio de Macau de Motas, aparecia uma nova estrela no horizonte, na forma de "Foguete" Ron Haslam, que venceu a prova de 30 voltas em 1:22:57.75, seguido de Sadeo Asami e do holandês Boet Van Dulmen.

1982
Apesar das condições húmidas e ventosas, a sensação mais recente do circuito da Guia, Ron Haslam, conseguiu a primeira posição da grelha e venceu o Grande Prémio de Macau de Motas pelo segundo ano consecutivo. Charlie Williams fez a volta mais rápida com 2:35.76, um recorde que durou uma década. Roberto Moreno venceu no Grande Prémio, a última prova do curto Campeonato de Fórmula Pacíffico. O colombiano Roberto Guerrero bateu o recorde da volta mais rápida pertencente a Alan Jones com 2:20.64, no seu Ralt RT4 Ford da Theodore Racing. Os pilotos de Hong Kong, Helmet Greiner, Adrian Fu e Peter Chow, ocuparam as três primeiras posições da Corrida da Guia.

1983
O 30o Grande Prémio de Macau foi outro marco importante para a prova com a sua nomeação como Taça do Mundo de Fórmula 3 da FIA. Com o forte apoio da Theodore Racing, de Teddy Yip, um jovem piloto brasileiro, então conhecido por Ayrton Senna da Silva, venceu no seu primeiro Grande Prémio de Fórmula 3. Senna foi seguido de Roberto Guerrero e Gerhard Berger. A vitória de Ron Haslam na sua Honda 500, no Grande Prémio de Macau de Motas, fê-lo igualar o recorde de Sadeo Asami de três vitórias consecutivas. Na Corrida da Guia, Hans Stuck e Dieter Quester lutaram com o piloto de Hong Kong, Michael Lieu, acabando por vencer Stuck, á frente de Quester e Lieu, por esta ordem.

1984
O 31o Grande Prémio registou um excelente desempenho por parte do dinamarquês John Nielsen, tendo acabado por ficar á frente de Stefan Johansson que tinha obtido o primeiro lugar da grelha de partida. O neo-zelandês Mike Thackwell ficou em terceiro. O Grande Prémio de Macau de Motas não contou com a participação de Ron Haslam, o que dava a oportunidade a outros. Assim, Mick Grant venceu no conjunto das duas mangas em Suzuki 500, seguido de Roger Marshall, em Honda 500, e Mark Salle, numa segunda Suzuki. Tom Walkinshaw venceu a Corrida da Guia num Jaguar XJS, ficando o seu colega de equipa Hans Heyer em segundo e Hans Stuck, em BMW, em terceiro.

1985
Depois de uma ausência de um ano, Ron Haslam regressou ao circuito da Guia, tendo vencido uma vez mais o Grande Prémio de Macau de Motas. A estrela belga de Grandes Prémios, Didier de Radigues, ficou em segundo e Eero Hyvarinen, o "finlandês voador", terceiro. Mauricio Gugelmin venceu no conjunto das duas mangas no Grande Prémio de Macau de Fórmula 3, em edição encurtada, seguido de Mike Thackwell e Jan Lammers. Na Corrida da Guia, o vencedor foi Giancarlo Francatelli, seguido de Gerhard Berger em segundo e Michael Liu em terceiro.

1986
O inglês Andy Wallace venceu o Grande Prémio de Macau de F3, ficando o seu colega de equipa, Mauricio Gugelmin em segundo e Jan Lammers em terceiro. O piloto venezuelano Johnny Cecotto, num grande Volvo 240 T, triunfou na Corrida da Guia, seguido de Tom Walkinshaw em segundo e Thomas Lindstrom em terceiro. Ron Haslam venceu o quinto Grande Prémio de Macau de Motas, um feito sem paralelo, á frente de Didier de Radigues e do americano Randy Renfrow, todos tripulando Honda.

1987
O tufão Nina assolou a costa chinesa, mas os ventos acalmaram o suficiente para se disputar um Grande Prémio de Macau de Motas com 10 voltas, vencido uma vez mais por Ron Haslam, o que o tornou no piloto com maior némero de vitórias, seis. A versão reduzida do Grande Prémio de Macau, de 20 voltas, teve como vencedor Martin Donnely, seguindo-se Jan Lammers e o alemão Bernd Schneider. A Corrida da Guia foi um êxito estrondoso para a BMW, obtendo os três primeiros lugares, com o italiano Roberto Ravaglia em primeiro, Dieter Quester em segundo e Fabien Giroux em terceiro.

1988
O ás americano Kevin Schwantz concedeu ao público uma demonstração de destreza, incluindo cavalinhos a 140 km/h, no seu percurso para a vitória no Grande Prémio de Macau de Motas. Os colegas da equipa da BMW Altfried Heger e Markus Oestreich ficaram em primeiro e segundo lugar respectivamente na Corrida da Guia, enquanto Andy Rouse, em Ford Sierra ficou em terceiro. A primeira manga do Grande Prémio de Macau foi uma vez mais encurtada devido a um acidente em cadeia na curva do Hotel Lisboa. Enrico Bartaggia, vencedor do Grande Prémio do Mónaco de F3, venceu no conjunto das duas mangas, sem ter vencido nenhuma delas. O inglês Damon Hill ficou em segundo e Otto Rensing em terceiro.

1989
Uma vez mais, Teddy Yip puxou dos seus galões e organizou a sua "Corrida de Campeões". Correndo em Mazda MX5 Miatas idênticos, estavam lendas como Denny Hulme, Roy Salvatori, Al e Bobby Unser, Alan Jones e o vencedor Geoff Lees. A vitória na F3 foi para o australiano David Brabham, seguido de Julian Bailey em segundo e Christophe Bouchut em terceiro. Na Corrida da Guia, o domºnio pertenceu aos Ford Sierra, com Tim Harvey a ficar á frente de Andy Rouse. Devido ao mau tempo e á falta de claridade, o Grande Prémio de Macau de Motas foi encurtado para oito voltas, com o irlandês Robert Dunlop a sagrar-se vencedor.















 
 
0.49742102622986